Sobre mim

Minha foto
Jovens Adoradores
Caucaia, Ceará, Brazil
Somos jovens adoradores e colocamos Deus em primeiro lugar em nossas vidas, seguindo Seu caminho conforme Sua vontade em nós!!!
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Nosso Arquivo

Blog Archive

Translate

Visualizações

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Sala Pastoral: "Renunciar? Mas todos estão fazendo! O que ganho com isso?"

A coluna que nomeamos de "Sala Pastoral" é escrita pelo nosso pastor presidente, Fco Erivelto Gonçalves, e se trata de um espaço em que os jovens encontrarão respostas para dúvidas e curiosidades sobre diversos assuntos de seu interesse, embasadas na palavra e vindas de alguém com experiência e conhecimento necessários para passar confiança no que diz.
 
Então, sinta-se em uma sala pastoral e tire suas dúvidas. 

  A pergunta de hoje vem rondando a cabeça de muitos jovens.
Como resposta o pastor nos indicou um estudo bíblico. Em oito pontos, o estudo mostra a necessidade da santificação em nossas vidas e o motivo de precisarmos ser santos e separados do pecado, tudo embasado em versículos bíblicos.
Confira!


Questionamento:  
Porque devo ignorar meus desejos e necessidades carnais, se meu corpo está pedindo? Todos estão fazendo, o que ganho com isso?
Resposta:
 A SANTIFICAÇÃO 
1Pe 1.2 “Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: graça e paz vos sejam multiplicadas”.

Santificação significa “tornar santo”, “consagrar”, “separar do mundo” e “apartar-se do pecado”, a fim de termos ampla comunhão com Deus e servi-lo com alegria. 

(1) Além do termo “santificar” (cf. 1Ts 5.23), o padrão bíblico da santificação é expresso em termos tais como “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento” (Mt 22.37), “irrepreensíveis em santidade” (1Ts 3.13), “aperfeiçoando a santificação” (2Co 7.1), “a caridade de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida” (1Tm 1.5), “sinceros e sem escândalo algum” (Fp 1.10), “libertados do pecado” (Rm 6.18), “mortos para o pecado” (Rm 6.2), “para servirem à justiça para santificação” (Rm 6.19), “guardamos os seus mandamentos” (1Jo 3.22) e “vence o mundo” (1Jo 5.4). Tais termos descrevem a operação do Espírito Santo mediante a salvação em Cristo, pela qual Ele nos liberta da escravidão e do poder do pecado (Rm 6.1-14); nos separa das práticas pecaminosas deste mundo atual; renova a nossa natureza segundo a imagem de Cristo; produz em nós o fruto do Espírito e nos capacita a viver uma vida santa e vitoriosa de dedicação a Deus (Jo 17.15-19,23; Rm 6.5, 13, 16, 19; 12.1; Gl 5.16, 22,23; ver 2Co 5.17). 

(2) Esses termos não subentendem uma perfeição absoluta, mas a retidão moral de um caráter imaculado, encontrada na pureza do crente diante de Deus; na obediência à sua lei e na inculpabilidade desse crente diante do mundo (Fp 2.14,15; Cl 1.22; 1Ts 2.10; cf. Lc 1.6). O cristão, pela graça que Deus lhe deu, morreu com Cristo e foi liberto do poder e domínio do pecado (Rm 6.18); por isso, não precisa nem deve pecar, e sim obter a necessária
vitória no seu Salvador, Jesus Cristo. Mediante o Espírito Santo, temos a capacidade para não pecar (1Jo 3.6), embora nunca cheguemos à condição de estarmos livres da tentação e da possibilidade do pecado. 

(3) A santificação no AT foi a vontade manifesta de Deus para os israelitas; eles tinham o dever de levar uma vida santificada, separada da maneira de viver dos povos à sua volta (ver Êx 19.6; Lv 11.44; 19.2; 2Cr 29.5. De igual modo a santificação é um requisito para todo crente em Cristo. As Escrituras declaram que sem santificação ninguém verá o Senhor (Hb 12.14). 

(4) Os filhos de Deus são santificados mediante a fé (At 26.18), pela união com Cristo na sua morte e ressurreição (Jo 15.4-10; Rm 6.1-11; 1 Co 130), pelo sangue de Cristo (1Jo 1.7-9), pela Palavra (Jo 17.17) e pelo poder regenerador e santificador do Espírito Santo no seu coração (Jr 31.31-34; Rm 8.13; 1Co 6.11; 1Pe 1.2; 2Ts 2.13). 

(5) A santificação é uma obra de Deus, com a cooperação do seu povo (Fp 2.12,13; 2Co 7.1). Para cumprir a vontade de Deus quanto à santificação, o crente deve participar da obra santificadora do Espírito Santo, ao cessar de praticar o mal (Is 1.16), ao se purificar “de toda imundícia da carne e do espírito” (2Co 7.1; cf. Rm 6.12; Gl 5.16-25) e ao se guardar da corrupção do mundo (Tg 1.27; cf. Rm 6.13,19; 8.13; Ef 4.31; 5.18; Tg 4.8). 

(6) A verdadeira santificação requer que o crente mantenha profunda comunhão com Cristo (ver Jo 15.4), mantenha comunhão com os crentes (Ef 4.15,16), dedique-se à oração (Mt 6.5-13; Cl 4.2), obedeça à Palavra de Deus (Jo 17.17), tenha consciência da presença e dos cuidados de Deus (Mt 6.25-34), ame a justiça e odeie a iniquidade (Hb 1.9), mortifique o pecado (Rm 6), submeta-se à disciplina de Deus (Hb 12.5-11), continue em obediência e seja cheio do Espírito Santo (Rm 8.14; Ef 5.18). 

(7) Segundo o NT, a santificação não é descrita como um processo lento, de abandonar o pecado pouco a pouco. Pelo contrário, é apresentada como um ato definitivo mediante o qual, o crente, pela graça, é liberto da escravidão de Satanás e rompe totalmente com o pecado a fim de viver para Deus (Rm 6.18; 2Co 5.17; Ef 2.4,6; Cl 3.1-3). Ao mesmo tempo, no entanto, a santificação é descrita como um processo vitalício mediante o qual continuamos a mortificar os desejos pecaminosos da carne (Rm 8.1-17), somos progressivamente transformados pelo Espírito à semelhança de Cristo
(2Co 3.18) crescemos na graça (2Pe 3.18), e devotamos maior amor a Deus e ao próximo (Mt 22.37-39; 1Jo 4.10-12, 17-21). 

(8) A santificação pode significar outra experiência específica e decisiva, à parte da salvação inicial. O crente pode receber de Deus uma clara revelação da sua santidade, bem como a convicção de que Deus o está chamando para separar-se ainda mais do pecado e do mundo e a andar ainda mais perto dEle (2Co 6.16-18). Com essa certeza, o crente se apresenta a Deus como sacrifício vivo e santo e recebe da parte do Espírito Santo graça, pureza, poder e vitória para viver uma vida santa e agradável a Deus (Rm 12.1,2; 6.19-22). 

 
QUE DEUS VOS ABENÇOE E GUARDE!

Pastor Erivelto


Veja também:
 
quarta-feira, 29 de maio de 2013

Como Ouvirão Se Não Há Quem Pregue?

Olá, paz do Senhor à todos! Estamos aqui em mais um encontro abençoado, onde iremos aprender um pouco mais da palavra do Senhor, como estamos fazendo cotidianamente. O assunto que será abordado hoje, está voltado para missão, uma das áreas mais importantes no meio do povo de Deus, como, também, a área que mais sofre, a mais necessitada. Vamos começar o nosso assunto? Fiquem a vontade e bom estudo!




"Como porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? Romanos 10:14

É nisso que eu tenho pensando nesses últimos dias! Todos os dias nos são dadas tantas oportunidades para falarmos de Jesus e muitas vezes permanecemos cerrados no nosso COMODISMO. Não nos dispomos a ir, não nos dispomos a orar, não nos dispomos a contribuir. Nos envolvemos com as coisas deste mundo de forma que não sobra tempo para Deus, temos nos acomodado no conforto de nossas casas, sabendo que almas perecem sem Deus, que pessoas estão morrendo e indo para o inferno.

Outra coisa que nos impede de divulgarmos esse amor é o MEDO DA REJEIÇÃO. Rejeição por nossos amigos ou familiares que não entendem o que é viver para Cristo, que não entendem que precisamos dividir com o mundo o que temos de melhor: Jesus Cristo.

E quantas pessoas vivem sem conhecer, sem ao menos poder decidir sobre o novo nascimento, pois não conhecem, e como conhecerão se não falarmos? 
“A seara é realmente grande, mas poucos os ceifeiros. Rogai pois ao Senhor da seara que mande ceiferos para sua seara” Mateus 9:37,38. 
Mas uma coisa é certa, Deus não precisa de nós para fazer sua palavra conhecida, a Bíblia está repleta de exemplos que mostram que os desígnios de Deus não podem ser impedidos pela recusa de seu povo de servir com fidelidade. Se preciso, Ele pode fazer as pedras falarem, mas o fato é que ELE NOS CHAMOU PARA FAZERMOS A OBRA!

Porque será que quando nos encontramos com Cristo, isto é, graciosamente recebemos a salvação, não fomos levados para casa, o céu? Porque o Pai nos manteve aqui com o propósito de implantar o seu Reino! Eu e você somos os instrumentos, os vocacionados por ele para o seu projeto na terra. Por isso a Palavra de Deus levando salvação precisa ser pregada em toda a terra. Roberto e Lourdes - Ministério Monte Sião




Há muitos corações sedentos e temos dentro de nós a “água viva”! Depende de nós escolhermos se seremos cumpridores do chamado ou apenas acomodados ao chamado. Mas lembrem-se: O MUNDO CLAMA!

Que o Senhor nos fortaleça a cada dia e nos abençoe para que possamos mostrar ao mundo a graça salvadora de Jesus! Vamos nos vestir das armaduras do Senhor e vamos para luta!


Bem, espero que todos tenham gostado dessa matéria maravilhosa. Que nós possamos ser  como esses que vão em busca dessas almas perdidas. Bem queridos, por hoje é só, mas, antes, gostaria de deixar esse vídeo para vocês. Desejo à todos um ótimo feriado e um fim de semana muito abençoado. Paz do Senhor à todos!


         
MichelPlatiny =)
segunda-feira, 27 de maio de 2013

TÁ NA REDE! "Louvores congregacionais - Culto de Jovens em Maio"

E já ta na rede!
Se você ainda não conferiu, veja o momento de louvor e adoração à Deus que aconteceu no nosso culto de jovens desse mês de maio.


Lembre-se deles


 


Hoje foi o dia de "lembrar deles", os cristãos perseguidos.
Infelizmente pra muita gente foi só hoje, ou pior, só na hora do culto.
Não digo isso apenas em relação aos cristãos em áreas de perseguição, mas as outras pessoas que precisam ser alcançadas e você não está fazendo absolutamente nada.


Enquanto você está brigando por um lugar no púlpito, eles lutam por um lugar para realizarem os cultos.


Enquanto você boceja nas pregações, eles as ouvem como se fossem a última.


Enquanto você canta e nem presta atenção no que está cantando, eles cantam com toda alma e alegria, pois lembram de onde vieram.


Enquanto você reclama que o culto está demorando, eles queriam ao menos 5 minutos.


Enquanto sua Bíblia vive encostada e você a substitui por tablets e celulares, eles protegem e escondem a única página que lhes sobrou e que em breve será destruída pelo fogo.


Enquanto você fica horas na frente do espelho se arrumando antes do culto e ainda cola um espelho na contracapa da sua Bíblia e alisa a sua franja, eles usam o que tem, caminham horas até chegarem às igrejas e não se importam com os pés sujos, o suor e os cabelos desarrumados.


Enquanto você vive um evangelho de vitórias, em que chaves, bênçãos e palcos são pregados, eles vivem um evangelho de cruz, de renúncia, de dor.


Enquanto você grita pelo seu time de futebol e passa noites comentando sobre ele, outros gritam e clamam pelo amor, pela esperança de um dia viver aonde não haverá mais choro.


Enquanto você se inscreve em todos os "Multi", "Tele", "Cash", "Likes" e enche sua timeline disso, existem pessoas perto de você precisando ouvir que Jesus as ama.


Enquanto você está em uma busca insaciável por dinheiro, luxo, bens materiais e tesouros terrenos, outros estão perdendo seus empregos por servirem a Cristo, mas conscientes de que estão ajuntando tesouros nos Céus.


Enquanto você está livre para falar do nome de Jesus e leva o evangelismo como obrigação, por um dia na semana/mês/ano, eles contrabandeiam Bíblias, se escondem, pregam para os vizinhos, pregam nas prisões...


Enquanto você nem se esforça em conhecer a Cristo, existe alguém que O anseia mais do que a própria vida, dentro de uma prisão com 47°C ou -10°C.


Enquanto você nem se importa em levar seus filhos para as igrejas, existem crianças que são expulsas de casa por terem encontrado uma igreja.



Enquanto você pensa que para fazer missões precisa ser consagrado, chamado e enviado à África, existem milhares de mendigos nas ruas da sua cidade precisando do alimento e do Alimento.

Enquanto você curte congressos, pregadores de fora, cantores, bajulações, entre outras coisas, muitos pastores estão dando a vida por suas igrejas subterrâneas, perdendo suas cabeças, seus filhos e vendo suas esposas sendo abusadas.


Enquanto você tem amigos de longas datas que nunca ouviram de você que Jesus salva e é o único caminho, outros estão sendo queimados nas praças porque não negam a Cristo e gritam Seu amor aos quatro ventos.


Lembre-se daqueles que estão longe e daqueles que estão perto.
Existe alguém bem próximo a você que precisa de amor. Existe alguém dormindo na sua calçada que precisa de amor. Existem crianças crescendo sem Jesus porque estão diante de computadores e programas de televisão. Existem adolescentes morrendo dentro da sua igreja, viciados em pornografia e envolvidos com homossexualismo porque você está mais preocupado com as vestimentas da irmã ao seu lado ou com o lanche que vai comer após o culto.


Existem cristãos precisando ser lembrados. Existem almas vidas que precisam ser alcançadas. Existe vida além da sua zona de conforto. Existe uma cruz, uma renúncia, um "negue-se a si mesmo". Existe um Jesus Cristo que morreu na Cruz por amor e precisa ser lembrado não apenas por Seu sacrifício, pendurado em uma corrente no seu pescoço ou na sua camiseta, mas Jesus quer ser lembrado pelo que Ele é





Raíssa Bulhões


Postado por: Deborah Nascimento
domingo, 26 de maio de 2013

As Sutileza dos Ídolos



Olá, que Deus possa abençoar esse início de semana , que sempre haja em nós o desejo de adorarmos, ao único Deus verdadeiro, e que Ele seja sempre a força que nos move!
Deixo com Vocês um Texto estupendo , de uma reflexão bem gloriosa e profunda!
Então Reflita sobre: " A Sutileza dos Ídolos!"

Rev. Luis A R Branco

Quando cheguei a Índia fiquei assustado com a quantidade de deuses no panteão hindu, aproximadamente trezentos e trinta milhões, e além destes ainda existem os avatares, considerados uma manifestação corporal de um ser superior, e os sadhus, uma categoria de homens santos geralmente caracterizados por suas bizarras formas de vida. Na teologia hindu, deuses estão em outra esfera de vida, enquanto os avatares e sadhus são figuras contemporâneas no mundo dos homens. No entanto todos eles são adorados de uma forma ou de outra.

Na linguagem bíblica e também ocidental o termo que mais se aproxima do termo avatar é ídolo. Um ídolo é uma imagem ou qualquer coisa que seja objeto de adoração em lugar do Deus Verdadeiro. Os perigos que envolvem a idolatria são tão grandes que o Senhor incluiu o dever de nos afastarmos da idolatria como o primeiro mandamento: “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás; porque eu, o SENHOR teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam.” (Êxodo 20:4-5).

Uma das características da pós-modernidade é o retrocesso à costumes pagãos de séculos e até milénios atrás, e a busca desesperada por ídolos é uma destas características. O apóstolo Paulo escreveu a Timóteo sobre este tempo: “E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.” (2 Timóteo 4:4). No cristianismo contemporâneo os ídolos sutilmente tomam o lugar do Deus Verdadeiro, e eles não são mais aqueles ídolos de madeira, ferro, barro ou ouro retirados da igreja pelos reformadores, eles são avatares, figuras humanas, que são adoradas e veneradas numa espécie de sadhusismo cristão.

A sutileza dos ídolos pode ser observada na diferença entre eles e Jesus, a começar pelo mais importante, a autenticidade, pois só o Senhor é Deus (Sl 86:10). Tudo o mais que tenta usurpar Sua glória é fraudulento! Mas quero completar este aforismo teológico com uma simples comparação entre Jesus e os ídolos, como se segue.

Os ídolos colocam o homem na plateia, como um mero espectador que assiste inerte as bizarrices de seus objecto de devoção. Enquanto Jesus nos convida para um relacionamento com ele que se desenvolve a partir da Palavra de Deus (Lc 11:27-28). Os ídolos paralisam o homem numa letargia nefasta impedindo-o de agir diante de todas as injustiças e corrupções infringidas pelos abusadores dos poderes espirituais e temporais. Enquanto Jesus estabelece um padrão claro a ser seguido pelos seus, confrontando toda forma de abuso e colocando sobre os seus a responsabilidade do agir (Mt 5:6, Rm 6:18). Os ídolos levam o homem a acreditar que a espiritualidade e serviço a Deus se resumem na histeria emocional, no choro, no balançar do corpo, no elevar da voz, etc. Enquanto Jesus nos envia adiante de si (Mt 28:19-20; At 1:8), como partes fundamentais no estabelecimento do seu reino. Os ídolos em nome de uma pseudo profundidade espiritual leva o homem a cauterização da sua mente impedindo-o de pensar de forma implicativa, enquanto Jesus liberta nossa mente dos cativeiros da mentira e nos conduz ao culto racional (Jo 8:36; Rm 12:1).


No blog do autor

John'Alves
Vice Coordenador e Blogueiro

sábado, 25 de maio de 2013

Palavra Jovem: 31°Congresso vindo aí!

 
31º CONGRESSO DE JOVENS

Caros jovens, estamos nos aproximando do nosso 31º Congresso é tempo de unirmos mais as nossas forças, deixarmos as indiferenças por um único propósito, isto é, o êxito da festa. Neste ano o nosso tema está baseado no livro do profeta Jeremias 22.29, “Ò TERRA, TERRA, TERRA! OUVE A PALAVRA DO SENHOR”, para que o Congresso ocorra como deve ser, precisamos do total apoio de todos os jovens, incondicionalmente.
  • Apoio financeiro
Pois sem ele, não conseguiremos fazer muita coisa;
  • Apoio da oração
É essencial para que Deus ponha por terra todos os obstáculos que estão se levantando;
  • Apoio evangelístico
Precisamos anunciar e levar pessoas para que Jesus salve;
  • Apoio com os ensaios
Fazer as coisas para Deus requer zelo e aprimoramento, não devemos fazer de qualquer jeito, é por isso que precisamos da total abnegação de todos;
  • Apoio na divulgação
Divulgue a festa com entusiasmo, fale bem do trabalho.

O salmista fala nos Salmos 133.1 “Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!”. Ser unido é um requisito essencial para qualquer área da nossa vida, e não é diferente em nossa vida cristã.
O exército de Gideão possuía 32.000 homens, porém, não havia unidade é por isso que Deus não os usou. Contudo, os 300 valentes de Gideão que permaneceram viram o livramento do Senhor, tudo isso movidos pelo sentimento da união. É dessa forma, que o Senhor requer de nós.
Portanto, deixemos de lado toda contenda, fofoca, falatórios vãos, ou seja, os frutos da carne que só aparecem para atrapalhar o trabalho.
Nosso congresso se aproxima, e o inimigo não vai ficar quieto ele vai querer cirandar usando aqueles que derem brecha. Porém, o conselho bíblico é fundamental, “VIGIAI E ORAI”.
 Esforcemos-nos para que o nosso Senhor opere nos dias 19, 20, 21 de Julho, que haja salvação, batismo e curas, porém, devemos nos envolver nesta unidade divina.


Joel Garcia 
Coordenador Geral da UMADEC

Vem aí... Jantar do Namorados.



E já virou tradição!
Vem aí o evento mais romântico do ano. Hora de agradecer a Deus pela pessoa amada que ele colocou ao nosso lado. Um evento super tradicional da AD Caucaia, que a cada ano tem surpreendido os seus participantes! Mas os solteiros não ficam de lado. E todos os casais estão convocados!
 

Dia 08 de Junho de 2013, a partir das 18:30h,
Na Sede da igreja AD Caucaia!
Ingressos: R$ 15,00 (casal)
R$ 7,00 (solteiro)...
Mais informações: Bruna Mota, Alysson, Júlio César e Sharlene.

Participe do Culto Mensal de Jovens na ADC!



Acontece todos os 4º sábado de cada mês um culto a Deus, dirigido pelos Jovens ADC.

São apenas 12 em cada ano. Não perca!
Você é nosso convidado especial!
sexta-feira, 24 de maio de 2013

Enciclopedia Gospel

Eu sigo a Jesus há 22 anos e Ele tem me abençoado grandemente. Quem segue a Jesus sente Paz nessa vida e uma Alegria maior que é a Vida Eterna ao lado dele na Glória.  Aleluia!   
                                                  Por: Luis Eduardo

                          A QUEM VOCÊ QUER SEGUIR, JESUS OU A HOMENS?
Porque o nosso evangelho não foi a vós somente em palavras, mas também em poder, e no Espírito Santo, e em muita certeza, como bem sabeis quais fomos entre vós, por amor de vós. E vós fostes feitos nossos imitadores, e do Senhor, recebendo a palavra em muita tribulação, com gozo do Espírito Santo.  I Tessalonicenses 1:5-6.
Cada dia que lemos a palavra do Senhor, descobrimos coisas maravilhosas, conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR.Oséias 6:3, se agíssemos assim, não seriamos levados por qualquer vento de doutrina, não seriamos empurrados para uma fé mórbida que não influência em nada diante de Deus, o próprio Jesus já disse conhecereis a verdade e a verdade vos libertará, entretanto existem tantos que dizem que conhecem, mas estão aprisionados dentro de si mesmo. 
Só podemos de fato ser seguidor de Jesus, se nossa vida estiver em conformidade com a palavra Dele, ser aquilo que ela diz que devemos ser. Agora analise você mesmo, você tem lido a bíblia? Você tem conhecimento de Deus? E como é que está sua vida? As coisas que esta acontecendo com você esta em conformidade o que está escrito nas Escrituras?
Bom, isto não que dizer que você não tenha problemas, os problemas são realmente coisas nossas. O que você precisa entender é que, se a tua vida estive dentro da palavra de Deus, nenhum problema te afetará, sabe por quê? Porque você conhece a solução que é Deus e Ele é Senhor em sua vida, mesmo que aconteça algo que venha mexer com toda a tua estrutura, você ligado em Deus, tem plena convicção que tudo irá se resolver, pois a tua base está fixa na rocha, e não haverá vendável que possa te mover de lugar, você será com uma palmeira no deserto, sobrevive a qualquer tempestade. As lutas e dores podem até te fazer envergar, mais quando Deus te levantar a tua força será tamanha que você jogará para longe qualquer coisa ruim que venha de encontro a tua vida, você continuará em pé, firme e resistente, porque aquele em que você confiou é inabalável.
Sigam este exemplo, servos do Senhor. Olha o que foi dito para a igreja que estava em Tessalônica: O evangelho que anunciamos não são apenas palavras, é a manifestação do poder de Deus através do Espírito Santo que esta em nossas vidas. Havia alegria no coração daqueles homens em fazer a obra de Deus, eles não estavam anunciando o evangelho por interesse particular, ou para agradar alguns, estavam levando a palavra porque Eles conheceram a Jesus, tiveram suas vidas mudadas, Eles queriam e sentiam necessidades que outros também provassem deste amor inefável. Transformação de caráter, mudança radical de vida; Aqueles homens queriam demonstrar é que a transformação que houve Neles através de Jesus era algo singular, havia anseio no coração de cada um que a igreja do Senhor, tivesse esta experiência sobrenatural.
Como mais audácia, Paulo, Silvano e Timóteo ainda relataram: Vocês foram feitos meus imitadores e imitador do Senhor, eles queriam dizer que a vida deles era um espelho em que as pessoas podiam se olhar. Que o andar e os feitos deles estavam condizentes com o que Jesus queria, e mesmo que fosse na tribulação, a palavra do Senhor trazia à alegria do Espírito Santo para a igreja. Visto que, o evangelho não estava condicionado às coisas momentâneas mais em um alicerce que não sofria variações que era a presença do Espírito Santo.
Que maravilha igreja do Senhor! Então me diga: Você conhece a palavra do Senhor? Você pode fazer a mesma afirmação daqueles homens? Ou você esta igual à areia, para onde o vento soprar vai? Se segure na pedra principal, eleita e preciosa, quem nela crer não será confundido. Esta pedra é Jesus, olhe para Ele. Examine as escrituras, nela esta a vida eterna, Confie em Deus e não em homens, se a vida destes, estiver de acordo com a palavra de Deus, imite-os! Caso contrario, fuga da aparência de santidade! Siga a Jesus, você é discípulo dele, foi Ele quem morreu numa cruz por você não foi homem nenhum. Respeite todos, Temam a Deus, as autoridades foram constituídas por Deus, jamais se levante contra ninguém, deixa o Justo Juiz fazer a justiça, apenas se ponha de pé olhe para o autor e consumador da tua fé, firme-se na verdade que Jesus, e ande pelas as retas da justiça, você é livre, não se torne escravo de homem, ponha tua vida nas mãos de Deus e Confie nele!
Pra. Elza Carvalho
quinta-feira, 23 de maio de 2013

Jesus, o nosso Pastor!

 A paz do Senhor meus amados irmãos!!!

Hoje iremos meditar na letra desse vídeo, que trata da fidelidade do nosso Deus. Um Deus imutável que esta sempre disposto a nos ajudar, amar e perdoar.Uma linda canção com ênfase ao Salmo 23.  
Este salmo nos fala sobre as diversas experiências da vida de um cristão ao longo de sua existência sob o pastoreio do Senhor. Nele podemos ver que a vida do  crente  não é somente marcada de acontecimentos bons, cheia de triunfos e vitórias sem nenhuma adversidade.
O Senhor  nosso Pastor, nos guia, apontando para nós o caminho. Jesus, o bom pastor nos sustenta, nos alimenta e nos fortalece a fé. Ele nos leva a pastos verdejantes de vida abundante. Ele nos guiara pelos caminhos certos, desde que o coloquemos no centro das nossas vidas.


Tendo o Senhor como nosso Pastor, caminharemos ao longo desta vida seguros e vitoriosos.
O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará.Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas.Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda.Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias. Salmo 23
Por Rafaela Barbosa


quarta-feira, 22 de maio de 2013

ADORAÇÃO: Um Estilo De Vida!


Olá, paz do Senhor à todos! Hoje estou trazendo um ótimo estudo sobre ADORAÇÃO. Vamos entender um pouco mais sobre essa maravilha que está presente todos os dias em nossas vidas e que nos permite um contato mais chegado com Deus. Espero que possa edificar a todos vocês, leitores. Bom estudo!

“Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e verdade”. João 4.23,24.

Por muitos anos tenho aprendido e ensinado sobre adoração e, cada vez mais, reconheço que esse é um assunto sobre o qual o Espírito de Deus precisa nos ensinar muito mais. Desde o início de meu ministério me deparei com essas palavras de Jesus. O Espírito Santo abriu meu coração para buscar um entendimento mais amplo dessa verdade. Tenho um profundo desejo de vivê-la, pois, Jesus afirmou que é exatamente isso que o coração do Pai procura.
Entendo que Deus não busca adoração, pois, dela o céu está repleto. Compreendo, pela Palavra, que Deus procura adoradores mais que adoração e que eles o façam em espírito e verdade.
Este artigo não pretende ser um tratado completo sobre esse assunto. Mas, sim, uma reflexão de um coração que a cada dia diz ao Pai: “Eis-me aqui Senhor, quero ser um entre os adoradores que procuras. Quero ser encontrado por Ti, ó Pai, no meu viver, no meu lar, no meu ministério, dia após dia, onde eu estiver; e que tu possa contar comigo como teu adorador”.
Quero, com todo o amor, projetar aos que trabalham nessa área da vida da igreja a minha experiência como adorador, músico, compositor e produtor. Será a palavra de quem, por muitos anos, tem participado nesse setor da vida da igreja local como na extra local. Palavra dirigida a todos aqueles que servem a Deus nesse campo, buscando ajudar aos que procuram, como eu, serem verdadeiros adoradores.

A Semente
Desde pequeno cresci em uma congregação evangélica, onde aprendi que a adoração a Deus era uma forma diferente de se cantar. Quando nos reunimos nos cultos havia um tempo inicial dedicado ao cântico de “corinhos de adoração”, visando preencher o espaço em que as pessoas chegavam e se preparavam para participar do encontro. Durante o culto os hinos eram cantados pelo hinário, os testemunhos eram apresentados e a Palavra era ministrada. Assim, por muito tempo, o conceito que eu possuía de adoração limitava-se ao que fazíamos nos momentos  que antecediam ao culto.
Assim como eu, muitas pessoas devem ter recebido esse ou outros conceitos não corretos de adoração, levando-as a um enfoca a adoração como uma forma, um estilo, ou um espaço de tempo a ser preenchido.
Para muitas pessoas adorar é um ato contemplativo que busca uma aproximação maior a Deus. Era, assim, que os monges medievais compreendiam. Uma contemplação de Deus, feita na vida reclusa que levavam, em total separação do mundo exterior. Assim, passavam grande parte de suas vidas em celas solitárias, confinados em clausuras, contemplando e adorando a Deus. Não digo que tais conceitos estejam de todo errados, porém afirmo que adoração é algo que vai muito além de formas ou expressões estereotipadas, pré-determinadas pelo tempo, espaço e estilo.
Tudo isso, entretanto, expressa uma grande verdade, a adoração começa com a busca que um ser humano faz para estar diante do Deus Criador. Adoração é fruto de uma “semente” que Deus plantou no coração do homem ao criá-lo (Gênesis 1.26,27). Antes que o diabo plantasse a semente do joio da rebelião e da desobediência, Deus já semeara a sua preciosa semente – sua imagem e semelhança – ao soprar-lhe o fôlego de vida (Gênesis 2.7). É a presença dessa semente divina que leva o homem a buscá-lo. Em cada pessoa que nasce a semente se faz presente e a acompanhará por toda a sua vida. Desde as mais longínquas civilizações que temos conhecimento, o homem, de diferentes formas, buscou a Deus, até mesmo não tendo noção das dimensões do que fazia. Ao estudarmos qualquer uma das culturas da humanidade veremos que existiu, em todas, uma centralização na busca do divino, do desconhecido, do sobrenatural, da razão de existir, do santo e do ser. Quando um nativo se prostra diante do sol, em seu interior há uma procura de Deus. Quando os pagãos fazem seus sacrifícios a diferentes divindades e entidades, revela-se uma busca incessante daquele que o criou.
O diabo sabendo da existência dessa semente procurou fazer com que o homem se satisfizesse com mentiras e ilusões. Assim ele quer, nas mais diferentes seitas e religiões, transferir o poder de Deus para distintos espíritos enganadores. Ele tenta anular o poder do sangue de Cristo usando o sangue de animais e de aves. Entretanto, nada disso, nem mesmo outros sofismas demoníacos podem anular, substituir ou satisfazer a “semente” que está na pessoa humana. Nem mesmo qualquer ídolo moderno como o dinheiro, conforto, lazer e prazeres poderão fazê-lo.
Em Efésios 1.5,12,14 há a afirmação de que o homem foi criado para glória de Deus. Deduzimos, assim, que o homem foi formado para ser um adorador do Deus vivo, único e verdadeiro, que o criou. O homem vive para ter comunhão com o Deus, eterno e único. A “semente” pode estar nele adormecida, mas não lhe poderá ser tirada.
A adoração se expressa através de nós quando nos voltamos para Deus, reconhecendo o que ele é, o que ele representa para nós e, conseqüentemente, quando entregamos-lhe o que somos e o que temos, para que tudo redunde em glória ao seu nome.

O porquê da Adoração
O relato de Mateus 4.10 sobre a tentação de Jesus, apresenta a resposta de Jesus ao diabo: “ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto”. Jesus usou as palavras de Êxodo 20.4,5 onde se encontra a ordem de Deus ao povo de Israel de que, só a ele, deveriam adorar e prestar culto. A constante vontade de Satanás é roubar o que só a Deus é devido – a adoração e o louvor. Mesmo sabendo que fomos criados para o louvor e glória do Deus vivo [“a fim de sermos para louvor de sua glória, nós, os que de antemão esperamos em Cristo” - Efésios 1.12], o inimigo busca de todas as formas, deturpar o culto a Deus, limitando-o à formas e costumes, amoldando-o à cultura e aos padrões humanos, impedindo que se expresse o desejo do coração de Deus.
A adoração que Deus esperou do povo de Israel ele, agora, procura encontrar na vida da Igreja. Sutilmente, a idolatria com seus ídolos, em diferentes formas, infiltraram-se no culto da cristandade, corrompendo o entendimento dos líderes e do povo que lhe pertence.
Ao longo dos anos, tanto a forma de culto, tanto a pagã como a judaica, centralizou-se nos templos. A fé cristã lançou a noção de que os discípulos de Jesus são templos vivos, onde Deus habita. A Palavra declara: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (I Coríntios 3.16). Muitas vezes essa noção foi perdida, e o povo de Deus tornou-se dependente do sacerdócio daqueles que, comumente, são denominados: “ministros de louvor”. Com isso, perdeu-se a espontaneidade de cada pessoa adorar e louvar individualmente. Parece-nos que voltamos ao tempo em que, para haver adoração, era preciso ter locais próprios para isso, um sacerdócio especial, imagens e ídolos, intermediando o louvor a Deus. Perdeu-se a noção dada os remidos da “intrepidez para entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo o grande sacerdote sobre a casa de Deus, aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo o coração purificado da má consciência e lavado o corpo com água pura” (Hebreus 10.19-22).
Hoje, o Pai está restaurando toda a verdade e, em especial uma viva vida de
relacionamento dos seus filhos com ele. Assim, toda a intermediação está encerrada, pois, Jesus Cristo é o único intermediário entre os salvos e o Pai Salvador. Por todo o mundo está surgindo um novo culto de verdadeira adoração àquele que disse: “ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.6). Quando Jesus focaliza ao Pai, ele focaliza a si mesmo, pois ele disse: “Quem me vê a mim vê o Pai” (João 14.9) e, também, focaliza o Espírito Santo – “o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome” (João 14.26). A Trindade Santa deve ser o único foco da verdadeira adoração.
Por diversas vezes já fiz a pergunta: porque devemos adorar a Deus? Essa pergunta invade o meu coração, pelo fato de entender que Deus é suficiente em si mesmo. Sua grandeza e majestade possuem o mais alto grau de expressão. Para Deus ser completo ele não necessita do que lhe possamos ofertar; ele não precisa de nossos sacrifícios de louvor e adoração para se rejubilar e se sentir feliz; ele não requer nosso amor para sentir-se amado, pois nele está a fonte do verdadeiro amor. “Deus é amor” define João (I João 4.16). Antes de nos criar, ele já existia em sua plenitude e era completo com o Filho e o Espírito Santo. Juntos participavam da plenitude eterna. Eis a razão de dizermos que o Pai não se preocupa com a adoração, mas, sim com os adoradores.
Para Deus ser completo não necessita do que lhe possamos ofertar; nem de nossos sacrifícios de louvor e adoração para ter alegria e sentir-se feliz; ele não precisa de expressões de amor para sentir-se amado, pois, ele é o próprio amor (I João 4.8). Antes de nos criar, ele já existia em sua plenitude e era completo com o Filho e com o Espírito Santo. Perfeitos em unidade eles participam de uma eterna plenitude. Juntos, são a plenitude em todas as coisas, inclusive de toda adoração, alegria e júbilo. Eis a razão de pensar de que o Pai não procura adoração, pois a adoração preenche todo o céu. O profeta Isaias diz: “eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobria o rosto, com duas cobria os seus pés e com duas voava. E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia de sua glória” (Isaias 6.1-3).  Os céus estão repletos de adoração, Deus procura por filhos que o adorem.
Quando medito sobre isso, vem ao meu coração que, acima de tudo, existe algo na adoração que é de importância vital, não para Deus, mas, para os adoradores. E, se ele procura adoradores é porque o seu amor quer que as suas criaturas, na terra, participem de uma preciosa comunhão com o seu Criador. É a atitude da criatura, em seu livre arbítrio que determinará ser ou não um adorador. Deus nos deixou com essa opção. Ele que governa todas as coisas poderia ter feito o homem como um adorador nato, tal como os anjos são. Mas, assim não fez, porque quer uma adoração que parta, livre e espontaneamente, do coração humano.
Deus nos deixou a opção de adorar ou não adorá-lo. Ele que tem em suas mãos todo o governo poderia fazer com que toda a criação fosse de adoradores, tal como são os anjos no céu. Mas, ele não fez assim, deixou-a livre para fazer uma ou outra coisa. O adorador é aquele que faz uma opção por Deus, opta por Jesus como seu salvador e pelo seu reino; opta em ter uma livre comunhão com Deus, que não é imposta pela vontade divina, mas é uma livre opção de amor!  A parte de Deus sempre é perfeita e completa, seu amor é inquestionável, mas, ele espera uma atitude recíproca de nossa parte. A verdadeira adoração é uma opção do nosso amor abrindo-se ao amor de Deus!
Qual é nossa opção? Deus governa sobre todas as coisas, mas deixa-nos adorá-lo ou não. A atitude correta é amá-lo e adorá-lo! A adoração é algo que satisfaz e alegra o coração de Deus, mas beneficia também o adorador, pois esse, ao optar em agradar a Deus, cumpre a sua parte nesse enlace de amor. A adoração sempre emana do amor. É o amor que lhe dá conteúdo. E, como Deus quer ser amado por nós! O que dá eficácia à adoração é o amor. Ele dá conteúdo a nossa adoração e expressa, de forma bem clara, a aliança e o compromisso que temos para com Deus e o seu reino eterno.

Amar a Deus acima de tudo

“Eu amo o Senhor, força minha” (Salmo 18.1).

         O que deve caracterizar o adorador não é a sua maneira de cantar e louvar, mas, sim, o profundo amor para com Deus. O que mais me chama a atenção nas vidas de homens como Abraão, Davi, os profetas e os discípulos de Jesus, é o profundo amor que deles fluía para com Deus. No Salmo 18.1

Davi expressa: “Eu te amo, ó Senhor”. Jesus externou o seu incondicional amor ao Pai, através de um viver inteiramente voltado à obediência. O amor ao Pai enriqueceu sua vida de devoção, adoração, submissão e, principalmente, na obediência e sacrifício – “A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra” (João 4.34).

Quando falo sobre o amor, falo do amor “de Deus derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado” (Romanos 5.5), amor que nos leva a uma comunhão que nada deste mundo pode quebrar.

Paulo, em Romanos 8.35, faz uma pergunta:: “Quem nos separará do amor de Cristo? Será tribulação, ou angústia, ou a perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?”, e concluí nos versículo 38 e 39: “Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as cousas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem as alturas, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor”.

Se esse amor está em nós, nosso coração transbordará em louvores.

Entendo que esse amor do qual Paulo fala é um amor sobrenatural, que é a expressão da presença do Pai que vive em nós. É esse amor que nos compele a amá-lo acima de todas as coisas. A prescrição de Moisés ao povo sob sua liderança foi: “Amarás, pois, ao Senhor teu Deus” (Deuteronômio 11.1).

É pela graça que, agora, nós podemos amar a Deus através do Espírito Santo. A minha constante pergunta é: O que é amar a Deus e, quanto eu o amo?” O nosso amor é provado quando passarmos por provações. Por exemplo: Quando não estamos bem financeiramente, isto interfere no nosso amor? Interferindo, então, precisamos rever os fundamentos nos quais edificamos o amor que dedicamos a nosso Pai Celestial.

Adoração é uma resposta dada ao constante amor de Deus por nós. Esse amor deve ser incondicional, tal como foi o amor de Abraão para com Deus, dispondo-se entregar, em um sacrifício, o seu próprio filho. Foi, assim, da mesma forma e com a mesma intensidade de amor para conosco, que Deus deu ao seu próprio Filho para nos substituir no holocausto da cruz.

Asaph Borba


Fonte: http://www.vivos.com.br/230.htm


E então gostaram? Espero que sim! Bem, queridos, por hoje é só. Próxima quarta estarei trazendo outro estudo abençoado e bem edificante para todos vocês. Ótima semana à todos e fiquem na paz de Cristo. Abraços.

MichelPlatiny =)