Sobre mim

Minha foto
Jovens Adoradores
Caucaia, Ceará, Brazil
Somos jovens adoradores e colocamos Deus em primeiro lugar em nossas vidas, seguindo Seu caminho conforme Sua vontade em nós!!!
Visualizar meu perfil completo

Seguidores

Translate

Visualizações

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Me ama - Veja o testemunho de composição dessa canção






É a versão, oficial do compositor e cantor John Mark Mcmilian, o vídeo conta o testemunho da música, ele apresenta o amor da canção (Que amor é esse?). Recentemente, o Diante do Trono fez uma bela versão dessa linda canção, está em seu novo CD - Diante do Trono 14: SOL DA JUSTIÇA.

OPORTUNIDADE! Ensino Técnico

O Etec-Brasil, é uma escola de ensino técnico a distância. Aulas presencias são a cada 15 dias, os cursos técnicos apresenta-se como a forma mais rápida de alcançar o mercado de trabalho.Para maiores informações: Professora Helena Rocha, tel(s): 99873437 ou 88068328.
sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Fuja dos falsos evangelhos! Ainda há tempo...!


Assisti, há algum tempo, a uma pregação de Carter Conlon (um pregador de mensagens vibrantes, da mesma linha do saudoso David Wilkerson), pela qual enfatizou: “Corra”. De maneira contundente, ele asseverou que os servos de Deus devem correr, fugir, escapar dos falsos evangelhos propagados pelos enganadores do nosso tempo.

No Novo Testamento há vários mandamentos relativos à fuga do mal. A Palavra de Deus nos ordena a fugirmos — a nos desviarmos, a escaparmos — dos pecados, pois a única coisa que pode nos afastar do amor de Deus, endurecendo o nosso coração, é a permanência no pecado (Hb 3.12-14). Por isso, o apóstolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, afirmou: “Fugi da prostituição” (1 Co 6.18); “fugi da idolatria” (1 Co 10.14); “saí do meio deles” (2 Co 6.17); “foge destas coisas” (1 Tm 6.11); “Foge também dos desejos da mocidade” (2 Tm 2.22), etc.

Precisamos correr, fugir, escapar dos falsos ensinamentos propagados pelos enganadores que estão “entre nós” (At 20.28-30; 2 Pe 2.1). Os falsos evangelhos são as falsas boas novas; as verdades misturadas com mentiras; os acertos e erros mesclados; é leite contaminado (1 Pe 2.1,2).

Você só não deve fugir do Diabo, e sim resisti-lo. Mas, para fazer isso, deve se sujeitar a Deus (Tg 4.7). Quem se submete ao Senhor, foge dos falsos evangelhos, contrários ao Evangelho de Cristo.

Fuja do evangelho experiencialista, baseado em experiências exóticas, em revelações obtidas depois de pretensas visitas ao Céu e ao Inferno e em técnicas psicológicas, como a regressão até o ventre materno (Dt 13.1-4; Jo 10.41).

Fuja do evangelho antropocêntrico, pelo qual o ser humano é tacitamente endeusado e estimulado a confiar mais na autoajuda do que na Ajuda do Alto (1 Pe 5.6; Fp 4.11-13).

Fuja do evangelho da prosperidade, pelo qual enganadores, webenganadores e telenganadores, abrindo mão do tesouro celestial (Mt 6.19-21), enriquecem e levam cativas pessoas enganadas, webenganadas e telenganadas, as quais deixam de usufruir do grande tesouro da salvação (2 Co 4.7).

Fuja do evangelho ecumênico, que valoriza um falso amor, mal direcionado, centrado em interesses próprios, abrindo mão da Verdade (Jo 14.23).

Fuja do evangelho cessacionista, pelo qual se afirma que a multiforme manifestação do Espírito Santo cessou, desprezando as profecias e extinguindo o Espírito (At 2.39; 1 Ts 5.19-21).

Fuja do evangelho neopentecostal, que banaliza os dons, ministérios e operações do Espírito Santo, levando incautos a pensarem que podem profetizar a qualquer hora, como bem entendem, e manipular a manifestação sobrenatural do Espírito (1 Co 14).

Fuja do evangelho farisaico, legalista, propagado e seguido por muitos líderes que “coam mosquitos”, mas “engolem camelos”, verberando contra efemeridades, sem ver “traves de madeira” enormes em seus próprios olhos (Mt 23).

Fuja do evangelho do entretenimento, que oferece toda a diversidade mundana num contexto “evangélico”, como apresentações de vale-tudo, shows de hip-hop, street dance, etc. (Rm 12.1,2; Tg 4.4).

Se você quer verdadeiramente ser vencedor até o fim, fuja de todos os falsos evangelhos e atente para o que está escrito em 1 Coríntios 15.1,2: “Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado, o qual também recebestes e no qual permaneceis; pelo qual também sois salvos, se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado, se não é que crestes em vão”.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Cruzada: "Somos Jovens, Somos de Cristo!"




A Cruzada começou na tarde do dia 15, quando cerca de 20 jovens passaram a tarde em evangelização, pelas ruas do bairro da Estação, em Caucaia. A palavra foi levada aos necesitados. Uma palavra de amor que cura, liberta, salva e que  transformou os jovens da UMADEC, que estavam com os corações inflamados de amor pelas vidas. Na tarde deste dia, em meio as dificuldades e ao sol escaldante, 6 pessoas aceitaram ao Senhor Jesus como Senhor e Salvador das suas vidas (Glória Deus!). Esta tarde memorável foi encerrada com muita alegria e muita festa nos céus pelas vidas que se renderam aos doces encantos eternos de amor do nosso amado Mestre Jesus, do qual somos dependentes inteiramente!
    Logo mais à noite, se iniciou a grande cruzada, com muitos louvores à Deus e um palavra glóriosa, ministrada pelo Pb.Ramilson Matias, sobre a Herança deixada para nós. Deus se manifestou de forma Glóriosa, refazendo Sua aliança com 3 jovens, e depois foi realizada uma oração ao Senhor em favor de curas e milagres,fechado a noite. No total, foram 9 vidas que se renderam a Cristo nesta feita!
    Queremos agradecer a todos que participaram direta e indiretamente,e aos que oraram por esse projeto, que continuem a orar! Essa será a primeira de muitas Cruzadas "Somos Jovens, Somos de Cristo!" que serão feitas para levar ao mundo um Jesus que Salva, Cura e Batiza com o Espirito Santo e logo em Breve Voltará!
    A próxima Cruzada será realizada no dia 19 de Novembro, no Genipabu, distritos de Caucaia. Vai ser melhor ainda, não perca! Contamos com sua presença e suas orações!

Deus Abençoe!
PAz do Senhor!
Ir.John Lennon
quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Planejar ou não planejar?


Hoje assisti a um filme que gostei muito: “Dan in real life”, em português: “Eu, meu irmão e nossa namorada”. O filme se trata de um viúvo, pai de três filhas, escritor de uma coluna de aconselhamento familiar em um jornal local. Esse rígido pai vê sua vida extremamente planejada sair do seu controle ao se apaixonar pela namorada do seu irmão.

As perguntas que me vieram ao assistir esse filme foram: Devemos ou não planejar? E, qual a vantagem de se planejar mesmo sabendo que as coisas muitas vezes não acontecem como planejado?

Sou uma pessoa extremamente sistemática, não só no meu temperamento, mas no sentido de que costumo planejar tudo que faço ou pretendo fazer. Se desejo muito realizar algo, geralmente me programo com muita antecedência e imagino direitinho como quero que as coisas aconteçam.

Mas o pior de tudo é que sei que as coisas nem sempre ocorrem como imaginamos. E, como no filme, todos estamos sujeitos a surpresas e a perder o controle da situação. Naturalmente, sempre que algo não acontecia como eu esperava que fosse eu me frustrava bastante. Não que hoje eu não me entristeça com os imprevistos, o que acontece é que tenho aprendido que eu nunca estive no controle…

Sim, nunca controlei nada. Ainda bem! E sabe por quê? Por que Deus guia meus caminhos! E eu continuo planejando minha vida sim, só que agora procuro colocar meus planos diante de Deus. E se alguma coisa não acontecer como previ, eu sei que foi porque não era da vontade do meu Pai, e que Ele tem coisas muito melhores do que sou capaz de imaginar reservadas pra minha vida.

"O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do SENHOR." (Provérbios 16:1)

"Eu sei, ó SENHOR, que não é do homem o seu caminho; nem do homem que caminha o dirigir os seus passos."(Jeremias 10:23)


19/02/2009 por Vida em Cristo
(adaptação John)
quinta-feira, 6 de outubro de 2011

“Ordena o que quiseres, e dá-me o que ordenares.”

2 Crônicas 30 nos diz como o rei Ezequias restaurou a Páscoa em Israel. Essa  celebração havia sido negligenciada, e Ezequias contristou-se por essa  desobediência. Por isso, enviou mensageiros que percorressem o país e chamassem o povo ao arrependimento e à obediência.
A mensagem do rei estava repleta de afirmações condicionais. Por exemplo: “Se vós vos converterdes ao SENHOR… vosso Deus… não desviará de vós o rosto” (v. 9). Estas afirmações condicionais mostram que Deus reage às nossas escolhas. Ou seja, se fizermos determinada escolha, Deus faz algo; se fizermos uma escolha diferente, Ele faz algo diferente. Por isso, Ezequias convocou o povo a voltar-se para o Senhor, a fim de que Ele se voltasse para o povo.
Esta reação de Deus às escolhas que fazemos levam algumas pessoas a precipitarem-se a uma conclusão “lógica” que não possui qualquer fundamento. Eles dizem: “Se Deus reage às nossas escolhas, então, o que escolhemos e o que Deus faz em resposta à nossa escolha dependem, em última instância, de nós mesmos”. Isto é o que eu chamo de “interpretação filosófica”, em vez de interpretação exegética. Em outras palavras, esta maneira de entender as afirmações condicionais da Bíblia resulta do raciocínio lógico do ser humano, e não da atenção cuidadosa aos caminhos singulares de Deus revelados no texto bíblico.
Quero ilustrar isso com base em 2 Crônicas 30. Estas são as exortações  que Ezequias enviou ao povo. Estão carregadas de condições:
Versículo 6: “Filhos de Israel, voltai-vos ao SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, para que ele se volte para o restante que escapou do poder dos reis da Assíria”. Em outras palavras, se vocês se voltarem ao Senhor, Ele se voltará para vocês.
Versículo 7: “Não sejais como vossos pais e como vossos irmãos, que prevaricaram contra o SENHOR, Deus de seus pais, pelo que os entregou à desolação, como estais vendo”. A ação de Deus em entregar os pais “à desolação” resultou de haverem eles sido infiéis ao Senhor.
Versículo 8: “Não endureçais, agora, a vossa cerviz, como vossos pais; confiai-vos ao SENHOR, e vinde ao seu santuário que ele santificou para sempre, e servi ao SENHOR, vosso Deus, para que o ardor da sua ira se desvie de vós”. O ardor da ira de Deus se desviará de vocês, se servirem ao Senhor Deus.
Versículo 9: “Porque, se vós vos converterdes ao SENHOR, vossos irmãos e vossos filhos acharão misericórdia perante os que os levaram cativos e tornarão a esta terra; porque o SENHOR, vosso Deus, é misericordioso e compassivo e não desviará de vós o rosto, se vos converterdes a ele”. Converter-se ao Senhor é uma condição que as pessoas têm de satisfazer, para que recebam a compaixão do Senhor em não virar as costas para elas.
Qual foi a resposta obtida pelos servos de Ezequias que levavam essas mensagens de esperança condicional? O versículo 10 nos mostra que algumas pessoas “riram-se e zombaram deles”. Mas outras “de Aser, de Manassés e de Zebulom se humilharam e foram a Jerusalém” (v. 11). O povo de Judá fez essa mesma escolha humilde (v. 12). O que fez a diferença na maneira como as pessoas reagiram? O versículo 12 nos dá a resposta incomum: “Também em Judá se fez sentir a mão de Deus, dando-lhes um só coração, para cumprirem o mandado do rei e dos príncipes, segundo a palavra do SENHOR”.
Não leia isso rapidamente. Pense sobre as implicações impressionantes. São importantíssimas. O que o versículo 12 ensina, à luz do contexto anterior, é que Deus havia ordenado: “Voltai-vos para mim, eu me voltarei para vós”. Algumas pessoas se voltaram. Por que motivo o fizeram? O versículo 12 apresenta a mais profunda razão: Deus lhes deu um coração disposto a fazer o que Ele ordenara. “Também em Judá se fez sentir a mão de Deus, dando-lhes um só coração, para cumprirem o mandado do rei e dos príncipes”.
Há alguma contradição em afirmar: “Se fizerem o que o rei ordenou, Deus removerá a sua ira de vocês” e, em seguida: “Deus lhes deu um coração disposto a fazer o que o rei ordenara”? É uma contradição afirmar uma condição que o povo tinha de satisfazer e, em seguida, dizer que Deus os capacitou a satisfazer a condição? Não, não é uma contradição. Somente um preconceito filosófico contrário ao ensino deste texto bíblico chamaria isso de contradição.
Isso esclarece dezenas de passagens bíblicas. De fato, esclarece toda a estrutura do pensamento bíblico. Quando lemos sentenças como: “Se vos voltardes ao SENHOR, Ele se voltará para vós”, não nos precipitemos à conclusão de que aquilo que escolhemos e aquilo que Deus faz em resposta à nossa escolha depende exclusivamente de nós. O versículo 12 ensina com bastante clareza: O que Deus ordena, Ele também pode dar. Isto é o correspondente bíblico mais próximo à famosa oração de Agostinho: “Ordena o que quiseres, e dá-me o que ordenares” (Confissões, X, xxix, 40).
A lição para nós é uma advertência e uma exortação. Acautele-se de interpretar a Bíblia com inferências lógicas, em vez de prestar atenção ao texto. Em vez disso, alegre-se, porque a graça de Deus está por trás de sua reação à graça dEle. Se a graça não nos despertar à graça, dormiremos durante o acontecimento. “Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente” (Romanos 11.36).
                                                                                                                                              Pr.John Piper
quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Ação Social


No domingo 18 de Setembro, foi realizado o dia de ação na localidade do Garrote. O evento foi promovido pelo os jovens da Assembléia de Deus de Caucaia, que formam o Setor Social. Na ocasião foram realizados exames de glicemia e pressão arterial.
Foi realizado evangelismo, a palavra de Deus foi transmitida naquele local. O encerramento daquele dia solidário, foi marcado por um culto, na ocasião houve sorteio de cestas básicas, as famílias carentes da região.


O SENHOR JESUS CRISTO presenteou a todos com vidas, que se renderam a presença transformadora DELE. Uma palavra especial ecôo naquele local, a palavra que se encontra em 1PE 5.7, a palavra de Deus diz para que lançássemos sobre ele todas as nossas ansiedade, pois ele, em todo tempo, tem cuidado de nós.


Veja algumas fotos:


















Hoje você já parou para dizer a Jesus o quanto você o ama ?
Ainda não ?
- Não perca mais nenhum segundo, comece logo a orar e diga a Jesus o quanto você o ama e o quanto é bom servi-lo.
Diga: - Pai, EU PRECISO DE TE. Eu TE AMO mais do que tudo nessa vida.


Fé - essencial para uma vida cristã.


Na bíblia sagrada encontramos por muitas vezes a palavra fé, que pela fé surdos ouviram, cegos enxergaram, paralíticos andaram, mulheres foram curadas do seu fluxo de sangue e vários outros exemplos que nos fazem pensar de como Deus tem operado na vida de muitos através de sua fé.

Em Hebreus 11, que conta a respeito da natureza da fé retirada do antigo testamento, podemos analisar de forma clara e singular como Deus moveu montanhas através da fé. Fez o impossível se tornar possível pela fé que foi depositada em sua soberania.

Abraão, nosso maior exemplo de que com a FÉ e confiança em Deus, nos mostrou que Deus do mesmo jeito que Ele lhe dar algo, Ele também pode tirar. "Abraão teve erros, quedas, momentos de solidão e desespero, mas agarrou-se ao Pai", e nos fez perceber que se usarmos da nossa fé e total confiança no Senhor, podemos até passar pelo vale do desespero, mas, passaremos com segurança, pois nossa fé está firmada em Deus.

Segundo o dicionário um dos significados para Fé é que ela é um estado ou atitude de quem acredita ou tem esperança em algo. O mesmo que confiança, esperança...

Já segundo a bíblia sagrada, “A fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que não se vêem” Hb 11.1

Analisando os dois contextos podemos dizer que fé é tudo aquilo que não podemos tocar no presente momento, mas, sabemos que existe ou que irá se cumprir algo em nossa vida. Basta termos a fé do tamanho de um grão de mostarda, para que se cumpra a petição em nossas vidas. Mas primeiramente devemos ter amor, amando e confiando temos fé que o Senhor, poderá cumprir os desejos de nosso coração.

“Ainda que tenha fé suficiente, se não tiver amor. Nada disso se aproveitará”.

Rômulo Fabrício